UM PERFIL HISTÓRICO DOS BLACK BLOCS

14066525     

O grupo de manifestantes nomeado Black blocs não é criação brasileira, nem surgiu por causa da Copa do Mundo de 2014. Tem suas raízes históricas e políticas nos Autonomen, o movimento "autonomista" em Berlim Ocidental, onde a tática do Black Bloc foi empregada pela primeira vez, no início dos anos 1980.

O que distingue a tática dos Black blocs não é o recurso à força, tampouco o uso de equipamentos defensivos e ofensivos em passeatas e manifestações – ainda mais porque muitos Black blocs já protestaram pacificamente sem qualquer equipamento. Na verdade, o que diferencia essa tática de outras unidades de choque é, sobretudo, sua caracterização visual – a roupa inteiramente preta da tradição anarcopunk . 

Alguns afirmam que o termo “Black bloc” foi utilizado pela primeira vez em 1980, quando um chamado pela mobilização anarquista de Primeiro de Maio em Frankfurt pedia às pessoas que “se juntassem” ao Black bloc. Outra história localiza o surgimento do termo meses depois, quando a polícia avançou para desmontar a República Livre de Wendland, um acampamento em protesto contra a abertura de um depósito de lixo radiativo em Gorbelen, Baixa Saxônia.

Outros ainda defenderam que o termo foi cunhado em dezembro de 1980 pela polícia de Berlim Oriental. Tendo decidido pôr fim às ocupações, as autoridades municipais haviam autorizado a polícia a conduzir uma série de despejos extremamente violentos.

Nas manifestações anticapitalistas anuais de Primeiro de Maio em Berlim, os Black blocs reúnem de 2.000 a 4.000 pessoas vestidas inteiramente de preto, envoltas por faixas e vestindo jaquetas de moletom com capuzes e óculos escuros (agora que as máscaras foram proibidas na Alemanha).

Surgiram muitas outras ocasiões para a formação de Black blocs, como os chamados para enfrentar os neonazistas reunidos em Dresden a fim de lembrar, em 11 de fevereiro, o bombardeio da cidade durante a Segunda Guerra Mundial.

A tática dos Black blocs se disseminou nos anos 1990, principalmente através da contracultura punk e de extrema-esquerda, via fanzines, turnês de bandas punks e contatos pessoais entre ativistas em viagens.

Nos últimos anos, foram convocados blocos multicoloridos, com argumento de que pode ser insensível, do ponto de vista cultural, associar o negro a anonimato e uso da força

A estratégia dos Black blocs pode adquirir um sentido especial que varia dependendo do contexto local. É difícil traçar um perfil psicológico preciso dos homens e mulheres que participam de Black blocs: não só porque eles usam disfarces, mas porque cada Black bloc é diferente do outro. 

 

Fonte:

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrissima/2014/03/1422098-um-perfil-historico-dos-black-blocs.shtml

Compartilhar?

Comentários

Não existe nenhum comentário para esta aula até o momento!