O escândalo do Mensalão

j_barbosa

Mensalão é o nome dado pela imprensa brasileira a um caso de denúncia de corrupção política mediante compra de votos de parlamentares no Congresso Nacional do Brasil, ente os anos de 2005 e 2006. O caso teve como protagonistas alguns integrantes do governo do presidente Lula e membros do Partido dos Trabalhadores, sendo objeto de ação penal movida pelo Ministério Público no Supremo Tribunal Federal.

O Supremo Tribunal Federal brasileiro começou o julgamento dos 38 réus do escândalo do “mensalão” no dia 2 de agosto de 2012.

Desde que os fatos do mensalão foram noticiados pela imprensa brasileira, novos eventos ligados ao dito esquema de corrupção foram surgindo, diariamente. Um importante desdobramento do escândalo foi a aprovação, por pressão pública, de uma emenda constitucional que reduziu o tempo dos recessos parlamentares de 90 dias ao ano para o máximo de 55 dias, estabelecendo que não haveria pagamentos extras por isso.

Após mais de 1 ano desde o início dos julgamentos, em Novembro de 2013,  o STF condenou 25 dos réus. Este é hoje o maior processo político analisado pela Corte. Os 11 magistrados  - dentre eles, a grande personalidade desate julgamento, o Juiz  Joaquim Barbosa - analisaram se houve esquema de corrupção e compra de apoio para o governo no Congresso Nacional durante o primeiro mandato de Luis Inácio Lula da Silva (2002-2006).

O procurador-geral da república, Roberto Gurgel, definiu o esquema em basicamente três núcleos: - Político: ex-ministro da Casa Civil, José Dirceu, ex-presdidente do PT, José Genoíno, o ex-tesoureito do PT, Delúbio Soares, e o ex-secretario geral do PT, Silvio Pereira, aparecem como os principais nomes; Financeiro:  ex-dona do Banco Rural, Kátia Rebelo como protagonista; e Operacional: publicitário, Marcos Valério, e seus ex-sócios, Cristina Paz, Ramon Hollerbach e Rogério Tolentino, como principais envolvidos.

Desmembrado o processo, teve início a apresentação das teses de acusação e de defesa. A Corte começou com o capítulo sobre desvio de dinheiro público na Câmara dos Deputados e no Banco do Brasil. Em seguida, apreciou os itens sobre gestão fraudulenta no Banco Rural, lavagem de dinheiro, corrupção dos parlamentares da base aliada, evasão de divisas e lavagem de dinheiro envolvendo políticos do PT e do PL.A grandiosidade do caso pode ser medida por seus números: são 38 réus, cerca de 500 testemunhas e mais de 50 mil páginas de autos.

Como votar é um exercício de cidadania, conheça à fundo os crimes cometidos pelos  réus e suas respectivas sentenças de condenação.

confirma em: http://oglobo.globo.com/infograficos/mensalao-veredictos/

Informar-se é o primeiro passo para melhorarmos nosso país.

Compartilhar?

Comentários

Não existe nenhum comentário para esta aula até o momento!