Margaret Thatcher pode ser tema cobrado no Enem e no Vestibular

Sexta-feira passada, o Já Entendi, em sua seção Tudo A Ver, já indicou o filme ‘A Dama de Ferro’ para todos vocês que se inscreveram no Enem e no Vestibular.

É verdade que o Enem não costuma abordar temas internacionais, no entanto, com o falecimento de Margaret Thatcher, ex-primeira-ministra do Reino Unido, no último dia 08 de abril, aos 87 anos de idade, o assunto neoliberalismo pode cair nas provas da edição 2013 de ambos os exames.

Reagan_Thatcher

A prova de Geografia, por exemplo, pode trazer questões em que os candidatos devam estabelecer um comparativo entre os modelos econômicos neoliberalista e social-democrata. Para isso é importante que os estudantes conheçam as características desses dois modelos, como funcionam e o que representam.

A morte de Thatcher também traz à tona outros assuntos nos quais seu envolvimento teve grande relevância histórica e ainda exerce influência nos aspectos políticos e econômicos atuais.

Thatcher_Tropas_Britanicas

A Guerra das Malvinas, em 1982, é um exemplo disso e teve a premiê britânica exercendo papel fundamental. Era ela quem estava no poder naquela época, e a Argentina reivindica a soberania do arquipélago, sob o domínio britânico desde 1983, até hoje. Em 17 de abril de 2013, quando aconteceu o funeral de Thatcher, Cristina Kirchner, presidente da Argentina, e Alicia Castro, embaixadora do país latino-americano no Reino Unido, estiveram ausentes. A primeira nem chegou a ser convidada, e a segunda rejeitou o convite da organização do evento.

Com a atual crise econômica mundial e as soluções norte-americanas para reerguer sua economia, resgatando o espírito social-democrata, outro tópico que pode ser explorado nas provas é o papel do Estado na economia de um país.

Quem foi Margaret Thatcher

Margaret_Thatcher

Margaret Hilda Thatcher foi a primeira mulher a ocupar o cargo de Primeiro-Ministro do Reino Unido, permanecendo no cargo por 11 anos e meio, de 04 de maio de 1979 até 22 de novembro de 1990. Desde o início, efetivou uma série de medidas e mudanças, anunciou um plano para a redução dos impostos e passou a controlar e a realizar reformas institucionais nos sindicatos trabalhistas. Essas reformas lhe renderam o apelido de “Dama de Ferro”.

Os primeiros cinco anos do primeiro mandato foram bastante conturbados, por sua política anticomunista. Seu primeiro mandato ficou marcado por diversas greves e manifestações dos sindicatos trabalhistas. Entretanto, sua intervenção na Guerra das Malvinas, em 1982, contribuiu para melhorar sua imagem pessoal e aumentar a popularidade de seu governo e, em decorrência disso, conseguiu sua primeira reeleição em 1983.

Durante o segundo mandato, Thatcher promoveu um programa de privatizações das empresas estatais e continuou combatendo de forma radical os movimentos sindicais trabalhistas. A premiê britânica tornou-se uma das precursoras do neoliberalismo no cenário contemporâneo. Aliás, o primeiro governo democrático a se inspirar nos princípios do neoliberalismo foi o de Thatcher, que acabou por convencer o Parlamento Britânico da eficácia dos ideais neoliberais e criar uma tributação regressiva, também conhecida como imposto comunitário.

No final da década de 1980, Margareth Thatcher continuava seu governo de forma rígida e inflexível. Conseguiu controlar a inflação e acelerou a valorização da moeda inglesa, porém não obteve êxito na redução da taxa de desemprego. Sua segunda reeleição aconteceu em 1987, todavia sua relação com o Partido Conservador não era boa, por causa de sua visão crítica à formação da União Europeia, o que, junto com a eleição de George Bush nos EUA e a perda do apoio externo norte-americano, levou à sua renúncia no ano de 1990.

Compartilhar?

Comentários

Não existe nenhum comentário para esta aula até o momento!