Entendendo a Crise na Europa

Quem acompanha os noticiários mundiais já deve estar “careca” de saber que a Europa está em crise. Entretanto, você sabe por que, como e quando ela começou? Tudo bem, a gente explica pra você! 

Os problemas começaram em 2011, que foi marcado pela crise econômica na União Europeia (UE), e se espalhou por todo o mundo, derrubando índices das bolsas de valores e gerou um clima tenso e negativo em relação à economia mundial. Mas afinal, o que aconteceu? A principal causa foi o endividamento público elevado, especialmente na Grécia, Portugal, Espanha, Itália e Irlanda. Outro ponto que direcionou os países pertencentes à UE à crise, foi a falta de coordenação política para buscar resolver os problemas de dívidas públicas das nações do bloco.  

Como consequência, aconteceram fuga de capitais de investidores, escassez de crédito, aumento do desemprego, revoltas populares por causa da redução de gastos, diminuição das notas dadas por agências de risco das nações e bancos dos países envolvidos, queda do PIB dos países da União Europeia e, principalmente, gerou crise em  países que não fazem parte da UE, inclusive o Brasil. De acordo com economistas, ela poderá causar recessão econômica em todo o mundo.  

Porém, para enfrentar a crise algumas medidas foram tomadas, como a implementação de um pacote econômico anticrise, que foi lançado em 27/10/2011. O FMI (Fundo Monetário Internacional), juntamente com o Banco Central Europeu aumentaram suas participações nas nações que passam pela crise. Países como a Grécia, receberam ajuda financeira. Também foi definido um Pacto Fiscal, que foi ratificado em 2012, com o intuito de garantir o equilíbrio das contas públicas das nações da UE e criou um sistema para punir os países que desrespeitarem o mesmo. O Reino Unido, por sua vez, não aceitou o pacto, o que trouxe aumento na crise política do país. Estas ações estão sendo lideradas pela França e Alemanha.

Compartilhar?

Comentários

Não existe nenhum comentário para esta aula até o momento!